TABUAL      
   

As tabúas surgem normalmente em zonas ribeirinhas de escoamento lento das águas, onde é suscetível a deposição de materiais finos (limos e areias finas), tais como, as áreas de assoreamento nos rios de planície, braços mortos de rios ou nos locais onde um excessivo período de imersão não permite a instalação de mata ribeirinha.

Nos tabuais do Rio Uíma é frequente encontrar a rã-ibérica ou a borboleta pavão-diurno.

 
 

Os terrenos onde abundam tabúas são espaços com uma elevada diversidade de espécies e onde estas se podem esconder e desenvolver as suas fases do ciclo de vida.