ETAR      
   


sistema de lamas ativadas de operação sequencial.

O tratamento das lamas consiste no seu espessamento por gravidade, seguido de desidratação através de um filtro banda com mesa vibratória e armazenamento em contentor adequado para posterior transporte a destino final.

A linha de desodorização faz a extração do ar contaminado proveniente dos edifícios de pré-tratamento e de tratamento de lama para ser desinfetado através de um biofiltro.

Por se tratar de um layout compacto em que os processos unitários estão perfeitamente integrados, a área de implantação desta ETAR é reduzida, comparativamente com outras ETAR de sistemas convencionais e capacidades idênticas.

 
 

Localizada na margem esquerda do Rio Uíma, a ETAR de Fiães está dimensionada para uma população de 46 000 habitantes/equivalentes.

O sistema de tratamento é de lamas ativadas de operação cíclica com uma conceção compacta e modular que agrega as vantagens de um sistema de lamas ativadas convencional à tecnologia SBR (Reactores Batch Sequenciais). Trata-se de um sistema contínuo quanto à operacionalidade, alimentação e descarga da água residual, de volume e nível hidráulico constantes e que, por operar de acordo com um ciclo processual controlado, permite a alternância de todos os processos envolvidos (arejamento, mistura, sedimentação) num único reator.

Esta ETAR é constituída basicamente por duas linhas de tratamento, a linha líquida e o tratatamento de lamas. Existe ainda o tratamento de odores e a reutilização de efluente final.

A linha líquida, onde se realiza o tratamento das águas residuais efluentes, é constituída por um tratamento preliminar que consiste na remoção de detritos (gradados), areias e gorduras, seguido de tratamento biológico através de um